QC Saúde
Laqueadura pelo SUS

Laqueadura pelo SUS: tudo sobre o procedimento

A realização de cirurgia de laqueadura pelo SUS é uma questão que gera muitas dúvidas em mulheres de todas as idades que estão em busca de um método contraceptivo definitivo.

O procedimento, que é irreversível, pode ser realizado na rede pública de saúde, desde que respeitadas as regras para autorização do mesmo.

Nesse artigo você vai entender tudo o que precisa saber para a realização da laqueadura pelo SUS. Confira!

O que é a cirurgia de laqueadura?

A cirurgia de laqueadura de trompas, também conhecida como Contracepção Cirúrgica Voluntária Definitiva ou apenas Ligação Tubária, é um procedimento de esterilização que tem como objetivo fazer com que os espermatozoides e os óvulos não se encontrem.

Assim não ocorre a fecundação, já que o procedimento pode fazer o bloqueio, corte ou ligação das tubas interinas que fazem a conexão entre o útero e os ovários.

Esse tipo de método possui uma eficiência de mais de 99%, onde apenas cerca de cinco em cada mil mulheres que se submeteram ao procedimento voltaram a engravidar.

O que é preciso para fazer laqueadura pelo SUS?

Segundo a legislação brasileira, a laqueadura pelo SUS pode ser feita por mulheres que já tenham idade acima dos 25 anos ou que já tenham pelo menos dois filhos vivos.

Além disso, nos casos onde a mulher que quer fazer a laqueadura pelo SUS for casada, seja em um casamento tradicional ou em união estável, é preciso a autorização do cônjuge para que possa se submeter ao procedimento, da mesma forma que ocorre quando o homem quer realizar a vasectomia e necessita da autorização da esposa.

É preciso ter em mente que conseguir realizar a laqueadura pelo SUS envolve toda uma burocracia que pode fazer com que o processo demore um bom tempo.

Também é necessário levar em consideração que trata-se de um procedimento irreversível, portanto, as mulheres que tomam a decisão de não ter mais filhos precisam ter muita certeza disso, para que não venham a se arrepender depois, quando já não se pode mais voltar atrás.

Laqueadura pelo SUS

Qual é o procedimento para fazer a laqueadura pelo SUS?

Para ganhar o direito a realizar a laqueadura pelo SUS, você deve seguir os passos abaixo.

Manifestação do desejo

O primeiro passo para a mulher que deseja fazer a cirurgia de laqueadura pelo SUS é se dirigir até a UBS (Unidade Básica de Saúde) mais próxima de sua casa e informar o seu desejo pela realização do procedimento.

Feito isso, ela será encaminhada para que participe de reuniões sobre planejamento familiar, onde também receberá orientação sobre outros métodos contraceptivos, caso não os conheça.

Acompanhamento psicológico

A próxima etapa do processo para realização da laqueadura pelo SUS é o acompanhamento psicológico.

Nessa etapa a mulher será encaminhada para que seja ouvida por uma equipe composta por psicólogos, médicos e assistentes sociais para que explique os motivos que fazem com que ela busque por essa solução.

É também durante essa etapa do processo que será explicado à requerente todos os detalhes sobre a realização do procedimento para que ela tenha todas as informações necessárias para que possa confirmar ou não sua decisão.

Para isso, é dado um prazo determinado por lei de 60 dias, chamado “tempo de reflexão”, para que essa mulher possa ponderar tudo que envolve a realização desse tipo de procedimento cirúrgico, sem ser levada por emoções momentâneas.

Documentação

Depois de tudo esclarecido quanto aos motivos pelos quais a mulher optou pela realização da laqueadura pelo SUS, assim como a forma como o procedimento é realizado, tem início o trâmite de assinatura de documentos necessários para a realização da cirurgia.

Com toda a documentação assinada, a cirurgia já pode ser marcada, porém, todo esse processo pode variar muito de uma cidade para outra, já que a disponibilidade para que a mulher passe por todas as etapas até o momento da cirurgia pode ser bastante escassa em algumas regiões.

É importante reforçar que, durante todo esse processo, caso a mulher decida por não se submeter a laqueadura pelo SUS, ela pode desistir do procedimento a qualquer momento.

Laqueadura pelo SUS

Como é feita a cirurgia de laqueadura?

A laqueadura de trompas pode ser realizada com a utilização de várias técnicas, tanto em relação ao procedimento em si como quanto ao acesso, que pode ser incisão abdominal, laparoscopia ou histeroscopia.

Independente da técnica e do acesso utilizado, a laqueadura tem como objetivo a obstrução do canal onde ocorre o encontro dos espermatozoides com o óvulo. Com esse canal bloqueado, a fecundação do óvulo pelos espermatozoides fica impossibilitada, evitando assim que a mulher engravide.

Dependendo da forma com que a cirurgia será realizada, pode ser necessária a aplicação de anestesia raquidiana (anestesia geral).

Tipos de laqueadura de trompas?

Existem diversas formas de fazer uma laqueadura de trompas, mas, basicamente, elas podem ser definidas de acordo com a forma com que são feitos os cortes e os acessos para obstrução das tubas uterinas.

Por isso, os principais tipos de laqueadura são:

  • Laqueadura por laparotomia: esse é o tipo mais comum de laqueadura pelo SUS, onde é feito um corte horizontal na barriga da paciente, semelhante ao feito em uma cesariana, o que faz com que seja considerada uma cirurgia mais invasiva:
  • Histeroscopia: consiste na introdução de um histeroscópio na vagina da paciente, que acessa as trompas e introduz uma mola que vai causar uma infecção local, que por sua vez causará o fechamento do canal. Trata-se de um procedimento muito menos invasivo do que qualquer outro que possa ser realizado.

Existem contraindicações para fazer a laqueadura de trompas?

As principais contraindicações para a realização da laqueadura pelo SUS são:

  • Gestação em andamento;
  • Infecções que não permitam a introdução do stent tubário por meio da histeroscopia;
  • Problemas clínicos que tornem a cirurgia ou a anestesia contraindicados.

Considerações finais

Como você pode ver, a laqueadura pelo SUS é possível de ser realizada desde que sejam cumpridas todas as etapas do processo burocrático até o momento da realização do procedimento.

Por se tratar de um método de esterilização irreversível, é necessário que antes de tomar qualquer decisão desse tipo você pense muito bem, se for o caso junto com seu parceiro, para que não surjam arrependimentos futuros.

O QC Saúde tem caráter totalmente informativo, não recomendamos que você faça nenhum tipo de procedimento ou uso de medicação sem antes consultar um médico especialista.

Nosso objetivo é publicar conteúdo de qualidade de forma simplificada, clique aqui e confira nossas fontes.

Deixe seu comentário