QC Saúde
Quantidade de água que devemos beber

Quantidade de água que devemos beber: Confira os níveis ideias por idade

A água desempenha um papel fundamental para o organismo de todo ser vivo, no caso do ser humano ela compõe cerca de 60% do corpo de um adulto e até 80% do corpo de uma criança, sendo um dos principais elementos na composição das células. Ela é essencial para o transporte e eliminação de substâncias, além de ser responsável pelo equilíbrio da temperatura do corpo.

Sem a água não é possível o funcionamento do organismo, pois ela atua em praticamente todas as funções e aspectos, sendo de extrema importância ser reposta todos os dias, principalmente em dias quentes, mas de maneira adequada, pois assim como em qualquer consumo, exageros podem ser muito prejudiciais.

Funções da água no organismo

Lubrifica diversas articulações e órgãos, fator que também proporciona proteção a essas estruturas;

Mantém regulada a temperatura do corpo através do suor, que quando liberado, ao entrar em contato com o meio e evaporar na pele, ocasiona o resfriamento do corpo;

Forma o plasma sanguíneo, que reúne elementos celulares como leucócitos e plaquetas e cuja principal função é o transporte de nutrientes e outras substâncias;

Evita o ressecamento das córneas e auxilia na limpeza dos olhos, pois forma as lágrimas;

Fornece energia ao corpo.

Quantidade de água que devemos beber

Quantidade de água que devemos beber

O ideal é estimado como 2 litros de água por dia, sendo a quantidade recomendada até mesmo pelo Ministério da Saúde, e é de extrema importância consumir ao menos essa quantidade de água no dia a dia, mas cada organismo é singular e pode possuir diferentes necessidades e aspectos, exigindo uma quantidade maior de água, o que geralmente varia de acordo com fatores como idade, sexo, atividade física e peso.

Sendo assim, a unanimidade em torno dos 2 litros de água por dia, acaba sendo empírica. Há outras formas propostas, por exemplo, por meio do peso e faixa etária, como a tabela a seguir:

Jovem ativo até:

  • 17 anos: 40 ml por cada kg;
  • 18 a 55 anos: 35 ml por cada kg;
  • 55 a 65 anos: 30 ml por cada kg;
  • Mais de 66 anos: 25 ml por cada kg.

No entanto, é importante esclarecer que não há um número “mágico” apontado para todos os casos, afinal, as pessoas apresentam particularidades e conforme será visto adiante, diferentes fatores influenciam no tanto de água que deve ser consumida.

O que influencia no volume de água que deve ser ingerida?

Muitos fatores estão relacionados com a quantidade de água que deve ser ingerida, como a quantidade basal de água corporal, por exemplo, aponta-se que os homens possuem mais água que mulheres, porém, as crianças têm proporcionalmente mais água no organismo que os adultos.

Pessoas mais magras, obesas, altas, baixas, apresentam quantidades corporais de água distintas. Por esse motivo, diversos profissionais apontam como inadequado definir um número apenas para todos.

Além de ingerir a água propriamente dita, também é importante citar que sucos, verduras e frutas também devem ser considerados e que os hábitos diários podem interferir muito na quantidade da água consumida. Por exemplo, pessoas que ingerem muito sal podem precisar de uma quantidade maior do líquido.

Quais são as formas de perda de água no dia a dia?

É interessante ter conhecimento de que o corpo perde água de diferentes formas ao longo do dia, mais precisamente, de quatro formas, sendo as principais por evaporação de água pela pele, suor e a urina. Por meio da urina, estima-se de 1 a 2 litros por dia, já pelo suor e evaporação pela pele, a quantidade corresponde entre 300-500 ml.

No que diz respeito a perda de água pelas fezes, o número chega em 100 a 200 ml diariamente, enquanto a evaporação de água pela respiração corresponde a aproximadamente 200-400 ml por dia. Dessa forma, é possível perceber que o organismo chega a perder de 1,5 a 3 litros diariamente, o que se aproxima dos valores indicados de forma geral.

No entanto, conforme citado anteriormente, é preciso considerar que são médias gerais e que essas estimativas podem variar de acordo com diversos fatores, como faixa etária, estação do ano, rotina, entre outras possibilidades.

Deve-se tomar muito cuidado para não ter contato com a água contaminada, pois esta pode acarretar diversas doenças como a esquistossomose, febre amarela, dengue, cólera e leptospirose, que recebem o nome de doenças de veiculação hídrica. Essas doenças têm diferentes formas de transmissão, sendo elas a ingestão, o contato pela pele ou pelos olhos e por agentes que se reproduzem na água e são causadores de doenças. A falta de saneamento vem aumentando cada vez mais o número de pessoas que morrem por causa desse contato com a água não potável.

Por conta desses fatores, é recomendado ter em casa algum filtro de água, que há em diferentes tipos e eficiências, que proporciona um consumo saudável.

Também é importante consumir ao menos 2 litros de água todos os dias, como citado anteriormente,, pois a desidratação pode ter graves consequências, a seguir conheça os principais indícios de que o organismo precisa de mais água:

  • Pele e lábios ressecados;
  • Sensação persistente de sede;
  • Constipação;
  • Dor de cabeça;
  • Urina escura e de forte odor;
  • Sensação de fadiga;
  • Perda de cabelo;
  • Vontade exagerada de comer doces;
  • Irritabilidade.

Água em excesso faz mal?

A água é altamente benéfica e necessária, porém, em excesso pode fazer mal, principalmente quando é consumida em grandes quantidades em um tempo relativamente curto, fazendo com que a concentração de sódio caia para níveis que podem ser perigosos para a saúde.

Esse quadro também pode ser chamado de intoxicação por água e exige cuidado. Quando houver dúvidas a respeito da quantidade da água ou se há algo de errado com o quanto está sendo consumida, é fundamental buscar auxílio médico.

Não existe vida sem água, ela é parte fundamental de cada organismo vivo e contribui em diversos processos, como o do crescimento, por exemplo. É necessário cuidar dos recursos naturais do meio ambiente e estar ciente dos melhores meios para consumir este elemento essencial, para sempre poder usufruir de seus benefícios de forma adequada, sem excessos e faltas, em rumo a uma vida mais saudável.

O QC Saúde tem caráter totalmente informativo, não recomendamos que você faça nenhum tipo de procedimento ou uso de medicação sem antes consultar um médico especialista.

Nosso objetivo é publicar conteúdo de qualidade de forma simplificada, clique aqui e confira nossas fontes.

Deixe seu comentário