QC Saúde

Umbu: fruta mineira ajuda na prevenção de doenças

Por mais que em algumas regiões brasileiras o umbu ainda não seja muito conhecido, trata-se de uma fruta típica do sertão mineiro. No nordeste, o umbuzeiro, que recebe o nome científico de Spondias tuberosa Arr. Cam., tem seu potencial mais explorado, porém, de forma geral, a valorização do fruto e do aproveitamento da facilidade de produção, ainda não são fatores altamente aplicados.

Todavia, a saborosa fruta pode ser incorporada no dia a dia de diversas maneiras, afinal, seja pelo consumo in natura ou do uso de sua polpa para as mais variadas receitas, como sorvetes e refrescos. No texto a seguir, conheça mais características sobre o umbuzeiro!

O que é umbu?

Da família Anacardiaceae, a mesma da famosa manga, o umbu, é o fruto do umbuzeiro, uma árvore que apresenta um porte pequeno, de copa em formato de guarda-chuva e galhos muito ramificados. Os frutos, também são chamados de ambu e imbu, apresentam casca de coloração amarelo-esverdeada, enquanto a polpa é branco-esverdeada, suculenta, com um sabor agridoce considerado agradável.

As chamadas “batatas” do umbu, referem-se a raiz, que também é usada para a produção de doces. Em alguns locais, a medicina popular/caseira, aponta a água dessa batata do umbu, como favorável contra a diarreia. Já as folhas, podem ser refogadas ou colocadas em saladas ainda frescas.

A fruta apresenta benefícios?

Embora exista certa escassez em torno da exatidão de seus benefícios, algumas informações apontam o valor nutritivo como a principal vantagem do umbu, pois apresenta componentes importantes para o organismo, tais como fibras, proteínas, magnésio, fósforo, vitaminas, cálcio, entre outros.

Um benefício já averiguado e afirmado, é a presença de atividade antioxidante na fruta, os responsáveis por essa ação, são os polifenóis, que ajudam a inibir a ação dos radicais livres. Essa vantagem, consequentemente, também contribui com a prevenção de diversas doenças, afinal, quando há instabilidade nos níveis de radicais livres, eles se tornam tóxicos para o organismo.

Como cultivar umbu

Sem dúvidas, o umbu acaba sendo uma fruta que representa grande significado, tanto social, quanto econômica, apesar de o cultivo de outras frutas nativas do nordeste brasileiro se destacarem em maior escala. Todavia, esse fator não ameniza seu potencial para a região.

O umbuzeiro tem essencialmente grande importância para os pequenos produtores, uma vez que serve de renda para muitas famílias. No entanto, além dessa possibilidade, o umbu também é cultivado para atender outras regiões do país, não apenas para o consumo in natura, como também na forma de polpa.

Ainda mais, alimenta não só diversas famílias do sertão, como também animais domésticos e nativos! Em muitos locais, as expectativas são grandes para o cultivo e venda do umbu, visando uma renda maior para as famílias.

Em algumas comunidades rurais do norte da Bahia, por exemplo, é comercializado para agroindústrias de polpa e in natura nas feiras livres, apresentando um lucro, de forma geral, que muitas vezes ainda é instável, dependendo da escala de produção e possibilidades do mercado.

Para as regiões Sul e Sudeste do Brasil, onde é menos conhecido, o umbu pode ter um apelo exótico, o que também pode ocorrer no mercado externo. Esse fator, acaba impulsionando o aumento de sua produção para a indústria, porém, ainda existe a escassez de estudos e aplicações em torno do umbuzeiro.

Em relação ao cultivo, embora apresente boa adaptação ao calor, solos fracos, irregularidade de chuvas, um bom desenvolvimento se apresenta principalmente quando há irrigação adequada. Afinal, em anos menos chuvosos o potencial de qualidade dos frutos, pode não ser atingido pela necessidade hídrica.  Sendo assim, por mais que a produção ocorra, é possível potencializá-la com a irrigação e adubação corretas.

Aponta-se que o umbuzeiro perca as folhas no período seco e se reveste depois das primeiras chuvas, que normalmente, também é o período de floração. Estima-se que o tempo entre a abertura da flor e a maturação do fruto, seja em torno de 60 dias.

Por mais que apresente boa adaptação em diferentes tipo de solo, é indispensável evitar aqueles que apresentam chances de encharcamento, pois pode comprometer o bom desenvolvimento do umbuzeiro e consequentemente, gerar prejuízos.

No que diz respeito a propagação, é interessante citar que pode ser realizada por meio de sementes, estacas de ramos ou enxertia. No entanto, aponta-se que o método por sementes, possa oferecer uma qualidade inferior no que diz respeito aos frutos e uniformidade do pomar, quando comparado aos outros procedimentos.

É indispensável realizar podas de limpeza para assegurar seu bom desenvolvimento, retirando assim, galhos secos, doentes e mal-posicionados (que estejam de fora para dentro da copa) anteriormente a incidência dos períodos chuvosos. Além disso, assim como para outras plantas, a adubação também é recomendada.

O que é umbu-cajá?

O umbu-cajá é o resultado do cruzamento natural entre o umbu e o cajá, também nativa e mais abundante no nordestes brasileiro. Ainda existe escassez de informações em torno da variabilidade genética, entre outros aspectos da planta.

Outro fator interessante a ser citado, é que se aponta a diferença entre os umbucajás encontrados, alguns estudos indicam que a fruta localizada na Bahia trata-se de uma nova espécie, enquanto a existente em Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, entre outros locais, refere-se realmente ao híbrido de umbu e cajá.

Conforme pôde ser notado ao longo deste texto a respeito do umbu, trata-se de uma fruta pouco conhecida em algumas regiões, porém, com grande importância para o dia a dia e economia, principalmente no nordeste brasileiro.

O potencial da fruta, vai muito além de seu uso na culinária, seja o consumo in natura ou o uso da polpa para o preparo de diferentes pratos. Afinal, representa a oportunidade de renda para diversas famílias das comunidades produtoras.

Os pontos positivos não param por aí, uma vez que a fruta também tem grande potencial para contribuir com um bom funcionamento do organismo e na prevenção de doenças, principalmente pela presença de vitaminas e polifenois. No entanto, é importante citar que ainda há escassez de informações em torno de alguns de seus benefícios, porém, alguns já foram estudados e afirmados!

Deixe seu comentário